Author Archive for Patrícia Py Dutra

10
abr
12

Inspiração!

Sempre que me sinto pra baixo, sem esperança, procuro por inspiração. As vezes, uma música me estimula, uma imagem talvez, mas, ultimamente, tenho visto videos e, através deles, conhecido histórias de diferentes pessoas. Pessoas como eu e você, pessoas que superam as adversidades de maneira impressionante.  Pessoas que podemos sempre ter como exemplos, pessoas como ela…

Anúncios
10
mar
12

ANJOS DE DEUS

Deus sempre colocou anjos em meu caminho, anjos que se manifestam nos momentos menos esperados. Muitos desses anjos mal me conhecem, mas fizeram questão de entrar em minha vida.

Tem aqueles anjos que me escrevem cartas, outros rezam, incansavelmente, por mim. Há anjos que oram implorando a Deus pela minha recuperação, antes de iniciarem as aulas.

Há, ainda, aqueles anjos que esquecem dos seus problemas e se comovem com os meus. Anjos que me viram nascer, anjos que eu vi nascer, anjos que, inicialmente, eu não quis conhecer, no entanto, eu me arrependi pelo tempo perdido. Um desses anjos que conheci me apaixonei a primeira vista. Teve anjos que desenvolvi uma amizade infinita.

Anjos altos, pequenos, magros, gordos, índios, alemães, negros, homens e mulheres… TODOS OS TIPOS DE ANJOS!!!!!!!!

Sem falar nos anjos que me doam sangue trimestralmente, que me ligam diariamente, que me visitam sempre trazendo uma palavra de conforto. Tem os anjos que me dão remédios, anjos que me cuidam, anjos que zelam pelo meu sono, anjos que me dão carinho e correm em minha direção quando me vêm. Feliz de mim que sou rodeada de anjos que me alimentam com AMOR. Anjos que tem paciência, muita paciência comigo. Anjos que se preocupam, que me agradam. Anjos que se emocionam comigo.

Há anjos que estão sempre presentes, mas os ausentes também são anjos, pois vibram com minhas vitórias e sofrem com minhas derrotas.

Não posso esquecer dos anjos malucos, aqueles que são, realmente, completamente malucos. Que me fazem rir quando estou com dor, chorar de alegria e acreditar que sempre há luz no fim do tunel.

Os anjos sorridentes, cheios de iniciativas e cheios de vida levam a tristeza embora. Anjos católicos, espíritas e ateus me fazem ter mais fé em Deus.

E esses anjos, independente da classe social, etnia e cultura, estão sempre comigo nos momentos que eu mais preciso.  Pois são anjos que me amam, incondicionalmente, mesmo com minhas fraquezas e com os meus defeitos.

Sem eles minha cruz seria muito mais pesada, meus passos mais lentos, meu sofrimento maior, minha fé reduzida. Graças a esses anjos, magnificos anjos, enviados por Deus, é que sinto-me fortalecida, consolada, animada e pronta para enfretar a ardua caminhada, que me foi imposta, com fé, resignação, humor, alegria e cheia de esperança. É por causa desses anjos que eu nunca me dou por vencida.

Obrigado a minha família que está ao meu lado nos momentos mais tensos e comemora cada avanço como se fosse término de olimpíada, onde o Brasil levou todas as medalhas de ouro; aos vizinhos que sempre entram em contato e torcem por minha recuperação; a todos os meus amigos como a Carla, a Joice, a Josie e as enfermeiras (da hemodiálise, hemocentro e labimed) do HCAA que formaram laços fraternos comigo.

No entanto, quero agradecer em especial, aqueles meus amigos da labuta diária, aqueles que eu esperava apenas coleguismo e que me surpreenderam, se revelando amigos de uma magnitude impar: aos meus queridos amigos da Escola Marista Santa Marta que estão sempre preocupados com o meu bem estar, me doam sangue, constantemente, e me enchem de energia positiva. Posso dizer a eles que meu sangue é, literalmente, MARISTA e que eles têm exercido um papel muito importante na minha vida, fazendo parte da minha família. Não posso esquecer nunca das queridas irmãs, idosos e colegas do Asilo Vila Itagiba que fazem novenas e rezam cotidianamente pela minha recuperação.

A esses amigos e a todos os outros, serei eternamente grata e os levarei, para onde quer que eu vá, em meu coração.

Eu acredito que os amigos são como anjos que levantam nossos pés quando nossas asas esquecem como se voa!!!

Mais uma vez, obrigado. Patty Py

10
mar
12

6ª Parte – Março de 2012

Sai do hospital em janeiro, após ter sofrido uma perfuração no pulmão (denominada pneumotórax). Sentia falta de ar contante. Alguns médicos acreditaram ser anemia, fiz mais três bolsas de sangue (totalizando 47 de outubro até fevereiro). Com o nível quase normal de ferro e ferritina no sangue, as faltas de oxigênio não eram mais justificadas. Outros médicos, que me examinaram, atentamente, concluíram que eu estava com água no “pulmão”, ou seja, todo líquido por mim ingerido estava se acumulando no pulmão.  Reduzi a quantidade de água drasticamente, mesmo que impulsos incontroláveis de sede me tomassem como um mal súbito. No entanto, a falta de ar não melhorou e eu fiquei em casa, dia após dia, agonizando, dormindo sentada, me afogando constantemente com toses terríveis.

Na última segunda-feira fiz hemodiálise na parte da manhã. Sem ter forças para respirar, tirei o máximo de peso possível, na tentativa de liberar meu pulmão do líquido excessivo. Ao sair da sala, meu médico solicitou que eu permanecesse no hospital para ele me examinar. Não poderia ser diferente, baixei hospital. Ele chamou o cardiologista e um pneumologista maravilhoso que me tratou com muita atenção. Comecei a fazer uso de bombinha, nebulizador e novos medicamentos. Fiz Raio X , eletrocardiograma e um ecocardiograma, além de muitos exames de sangue. Muitos resultados deram bons, mas os que deram ruins, deram muito ruins. A perspectiva de vida encurtou pela metade, mas a fé é inabalavel.

Estou aguardando um médico que vem a Santa Maria uma vez por mês, ele faz um exame detalhado do coração e do pulmão, será este exame que vai definir e confirmar a gravidade do meu problema. Estou orando para que Deus interceda por mim, mas ao mesmo tempo não me importo com o que irá acontecer amanhã e nem tenho medo da morte. Estou vivendo um dia de cada vez, me permito ter alguns xiliques e derramar algumas lágrimas. Sou feliz independente de qualquer coisa, nada me abala. Deus, meu anjo da guarda, minha família e meus amigos me  dão a força que eu preciso.

 

19
jan
12

Janeiro de 2012

Para iniciar o ano bem, para variar, baixei hospital no segundo dia do ano. Ainda com sérios problemas intestinais e febre, necessitei passar por uma bateria de exames, fui revirada do avesso. No fim, tirando fora a reação alérgica que tive durante a transfusão de sangue e a videolaparoscopia que fiz, ocorreu tudo bem, melhorei significativamente, o lúpus não está mais ativo e, após 18 dias de hospitalização, pude retornar a minha residência e curtir meu filho e meu maridão.

De qualquer forma iniciei este ano cheia de esperança, alegria, felicidade. Acredito que tudo irã mudar para melhor. Estou cheia de planos que irao se concretizar com certeza, pois eu quero.

09
dez
11

Retrospectiva 2011

Iniciei o ano bem trabalhando muito. No entanto, necessitei retirar o rim transplantado. Após um mês e meio hospitalizada voltei pra casa e logo retornei ao trabalho.
Minha pressão teve alterações significativas, fato que reduziu o meu funcionamento cardíaco, passei a tomar muitos medicamentos para o coração e para hipertensão, totalizando 40 comprimidos diários.  Sai de licença para evitar um possível derrame ou ataque cardíaco: parei com os exercícios fisicos e uma porção de coisas que me divertiam.
Em agosto fiquei muito fragilizada devido ao meu estado clinico, acabei baixando hospital em setembro e descobri que estava com um cisto hemorrágico, no meu único ovário, mas não quis fazer a cirurgia para removê-lo. Em outubro retornei ao hospital com a fistula parada, por causa da hipotensão, coloquei cateter, com muita dificuldade, e fiz uma nova cirurgia no braço. Fiquei duas semanas em casa, já pro fim de novembro retorno ao hospital, desta vez com febre, infecção intestinal. Por estar desidratada as enfermeiras, depois de nove tentativas, desistiram de tentar pegar um acesso para aplicação de antibiótico, então fez-se necessário passar um cateter para administração de medicamentos. Durante o procedimento o médico furou meu pulmão, agora, além de tudo que já passei, estou com pneumotórax e um edema pulmonar.

Pode? Não é possível, mas já aconteceu e agora estou rezando para passar o natal e ano novo em casa e cantar para subir. hehehehe

VOLTA PRO MAR OFERENDA… AFFF

Bom, continuando meu menino passou para a 7ª série e cada dia que passa descubro que ele é um anjo que venho do céu iluminar minha vida. Agora, ele irá cursar o último ano do ensino fundamental.

Noivei com a pessoas mais incrível e especial que poderia ter conhecido e é ele que me incentiva a ser forte, sem falar que ele levanta meu astral e sempre consegue arrancar um sorriso de mim. Eu amo muito ele, como jamais amei.

Minha mãe passou no mestrado, perdeu 51 quilos e está linda, porém enlouquecida com os trabalhos finais. Agora ela virou riponga, faz meditação e adora coisas orientais, pedras e cristais. Até que eu estou gostando das viajadas que ela dá.

Minha irmã morou um tempo comigo, aguardando que o apartamento que ela comprou ficasse pronto, mas agora ela está feliz, pq já está morando na casa nova com seu fiel escudeiro (o gato).

Minha fé e esperança foram testadas aos extremos, portanto, cresci com a dor, assim como os lírios crescem no lodo e como a fênix morre e ressurge das cinzas.

Aconteceram diversas coisas, mas duas coisas me marcaram muito. A descoberta dos meus verdadeiros amigos e a revelação de que o amor verdadeiro existe sim!

E que venha 2012.

09
dez
11

Sorrir sempre, desistir nunca

Me hospitalizei nos dois últimos meses e agora estou hospitalizada novamente. As vezes, sinto vontade de espernear, pois fica difícil compreender tanto sofrimento. Sinto meu corpo queimando, minha pele doendo, as pernas fraquejando e mesmo assim quando as pessoas perguntam como eu estou? Sempre respondo: – Que estou bem, com um enorme sorriso no rosto.

As vezes, me sinto sozinha, lutando contra uma doença que tenta me vencer no cansaço, mal sabe ela que eu sou uma fortaleza. Ontem, refletindo sobre a vida, sobre as coisas que vi, ouvi e falei, notei que eu sou uma super heroína e que assim sendo nada me abaterá. Não há problemas, inveja, doença, ou qualque outra coisa ruim que me atinja e me derrube, aliás, podem sim me derrubar, mas cada vez que eu levantar estarei mais forte. Porque eu tenho grandes aliados ao meu redor: Meu marido, meu filho, minha mãe, minha irmã e tia e, principalmente, Deus, Jesus e Maria.

Não perderei minha fé e permanecerei sorrindo e gritando para todo mundo ouvir: -” MESMO ASSIM… EU SOU FELIZ”.

SORRI

Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos vazios

Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador

Sorri quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados doridos

Sorri vai mentindo a sua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz

 

Charles Chaplin

27
out
11

Lição de Vida

Depois que vi este vídeo, percebi que o céu não é o limite para quem tem fé e valoriza a vida. Costumo dizer que sempre agradeço a Deus pela oportunidade de viver e quando estou triste lembro daquelas pessoas que passam fome, que tem doenças (bem mais graves que a minha e que, muitas vezes, não tem solução) e aquelas que não tem os membros e dependem dos outros. Pois bem, ao assistir esse vídeo “me descadeirei” ou seja “caiu os butiás do meu bolso”. Eu não tenho palavras para descrever a força de Nick Vujicic, só sei que me sinto envergonhada.
Assista e reflita…

Nicholas James Vujicic (Melbourne, 4 de dezembro de 1982) é um pregador e palestrante motivacional e diretor da Life Without Limbs. Nascido sem pernas e braços devido a rara síndrome Tetra-amelia, Vujicic viveu uma vida de dificuldades e provações ao longo de sua infância. No entanto, ele conseguiu superar essas dificuldades e, aos dezessete anos, iniciou sua própria organização sem fins lucrativos chamada Life Without Limbs (em português: Vida sem Membros). Depois da escola, Vujicic frequentou a faculdade e se formou com uma bidiplomação. Deste ponto em diante, ele começou suas viagens como um palestrante motivacional e sua vida atraiu mais e mais a cobertura da mídia de massa. Atualmente, ele dá palestras regularmente sobre vários assuntos tais como a deficiência, a esperança e o sentido da vida.
Filho primogênito de uma família sérvia, Nick Vujicic nasceu em Melbourne,Austrália, com a rara desordem Tetra-amelia: sem membros, faltando os dois braços na altura dos ombros, e sem pernas, mas com dois pés pequenos, um dos quais com dois dedos. Inicialmente, seus pais ficaram devastados, mas Vujicic era saudável.

Crescimento
Sua vida foi cheia de dificuldades e privações. Ele foi proibido por lei estadual de Victoria de frequentar uma escola regular por causa de sua deficiência física, mesmo ele não sendo um deficiente mental. Durante a sua escolaridade, as leis foram mudadas, e Vujicic foi um dos primeiros estudantes deficientes físicos a ser integrado numa escola regular. Ele aprendeu a escrever usando os dois dedos do pé esquerdo, e um dispositivo especial que deslizava sobre o dedão do pé que ele usa para agarrar. Ele também aprendeu a usar umcomputador, jogar bolas de tênis, pentear o cabelo, escovar os dentes, atender o telefone, fazer a barba e obter um copo de água.

Epifania
Como sofreu bullying em sua escola, Vujicic cresceu muito deprimido e, com 8 anos de idade, começou a contemplar o suicídio. Depois de implorar a Deus para crescer os braços e pernas, Nick finalmente começou a perceber que suas realizações foram inspiradoras para muitas pessoas e começou a agradecer por estar vivo. A grande mudança em sua vida foi quando sua mãe lhe mostrou um artigo de jornal sobre um homem lidando com uma grave deficiência. Isso o levou a perceber que ele não era o único que lidava com grandes problemas.[Quando ele tinha dezessete anos, ele começou a dar palestras em seu grupo de oração, e, finalmente, começou a sua organização sem fins lucrativos, a Life Without Limbs.

Carreira
Nick se formou na universidade com 21 anos de idade com uma bidiplomação em Contabilidade e Planejamento Financeiro. Ele começou suas viagens como um palestrante motivacional, enfocando os temas que os adolescentes de hoje enfrentam. Ele fala também no setor corporativo, embora seu objetivo seja se tornar um palestrante internacional de inspiração, com cristãos e não cristãos locais. Ele viaja regularmente para outros países para falar às congregações cristãs, escolas e reuniões empresariais. Ele já fez palestras para mais de três milhões de pessoas até agora, em mais de 24 países nos cinco continentes (África, Ásia, Austrália, América do Sul e América do Norte).
Vujicic promove o seu trabalho através de programas de televisão como o The Oprah Winfrey Show, bem como por escrito. Seu primeiro livro é intitulado Life Without Limits: Inspiration for a Ridiculously Good Life (em português: Vida Sem Limites: Inspiração para uma vida Ridiculamente Boa) (Random House, 2010).
Seu DVD motivacional, um grande objetivo de vida, está disponível no site Life Without Limbs. A maior parte do DVD foi filmado em 2005, com um breve documentário sobre sua vida em casa e como ele faz as coisas sem seus membros. A segunda parte do DVD foi filmada em sua igreja local, em Brisbane, Austrália, e foi um dos seus primeiros discursos motivacionais profissionais. Um DVD para os jovens é intitulado: No Arms, No Legs, No Worries: Youth Version.Seus discursos motivacionais podem ser vistos no Premiere Speakers Bureau Website. Vujicic atualmente vive na Califórnia, Estados Unidos.
Vujicic deu sua primeira entrevista de televisão para todo o mundo, apresentada na ABC, com Bob Cummings, em 28 de março de 2008. Ele apareceu no curta metragem “Butterfly Circus”.

Fonte Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Nick_Vujicic




Calendário

outubro 2017
D S T Q Q S S
« abr    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Já dizia Fernando Pessoa…

..."aprendemos no fim que desistir não vale a pena".

prpy@hotmail.com

Junte-se a 5 outros seguidores

Visitante nº

  • 12,672 hits